Três cidades do CIMVI receberão pontos de sinalização turística inteligente
11 de setembro de 2019
Cidades consorciadas realizam ações do Dia Mundial da Limpeza. Confira onde e quando!
18 de setembro de 2019

Você sabe o que são epífitas? São espécies que vivem sobre outras plantas maiores, utilizando-as apenas como suporte. Não são parasitas e não prejudicam as árvores, pois retiram os nutrientes diretamente da umidade atmosférica, não sendo unicamente dependente da árvore para sua alimentação e sobrevivência.

As epífitas são abundantes em florestas tropicais úmidas, com diversidade estimada em 29.000 espécies, apenas para o bioma Mata Atlântica são estimadas 3.300 espécies de epífitas. Estudos identificaram 79 espécies de epífitas vasculares em uma única árvore na Mata Atlântica.


Figueiras como suporte para epífitas

O padre e botânico catarinense Raulino Reitz, em 1983, citou a ocorrência de mais de 3.000 exemplares de bromélias em uma única árvore de figueira (Ficus organensis). Estudos apontam que a riqueza de bromélias nas figueiras isoladas, como observado em algumas cidades do Médio Vale do Itajaí, ocorre, dentre outros fatores, possivelmente devido a grande intensidade luminosa nestas árvores, condição que favorece as epífitas, como é o caso das espécies de Tillandsia e Vriesea, que podem compor quase 80% do total de espécies de bromeliáceas nestas árvores.

Nas bromélias, o acúmulo de água entre as folhas, constitui-se em um miniecossistema, que possibilita o desenvolvimento de microalgas, pequenos anfíbios e vários outros seres vivos que dependem destas condições específicas para sobreviverem.
Uma única árvore pode abrigar um ecossistema complexo de dezenas de seres vivos que habitam, entre formigas, abelhas, pássaros, sapos, morcegos, insetos, pequenos mamíferos, cupins, borboletas, entre outros.

Imagem: https://static.biologianet.com/conteudo/images/as-epifitas-usam-as-arvores-como-suporte-para-ter-um-maior-acesso-energia-luminosa-589849d56c249.jpg

REFERÊNCIAS
GONCALVES, Cezar Neubert; WAECHTER, Jorge Luiz. Aspectos florísticos e ecológicos de epífitos vasculares sobre figueiras isoladas no norte da planície costeira do rio grande do sul. Acta Bot. Bras., São Paulo, v. 17, n. 1, p. 89-100, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abb/v17n1/a07v17n1.pdf Acesso em: 09 set. 2019.
KERSTEN, Rodrigo de Andrade. Epífitas vasculares – Histórico, participação taxonômica e aspectos relevantes, com ênfase na Mata Atlântica. Hoehnea 37(1): 9-38, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/hoehnea/v37n1/v37n1a01.pdf Acesso em: 09 set. 2019.