Cimvi recebe Licença Ambiental de Operação,

CIMVI – Reunião com os prefeitos eleitos 2017/2020
28 de outubro de 2016

CIMVI recebe Licença Ambiental de Operação

 

Na quinta-feira (11), o Aterro Sanitário do Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí – CIMVI em Timbó, recebeu da Fundação do Meio Ambiente (Fatma) a Licença Ambiental de Operação (LAO). A autorização foi entregue pelo presidente da Fatma, Alexandre Waltrick Rates, e pela Gerente da Coordenadoria de Desenvolvimento Ambiental (Codam) de Blumenau, Rosemari Bona, ao presidente do Consórcio, Hartwig Persuhn. O documento libera a operação do aterro e comprova que o empreendimento está de acordo com as exigências legais e adequado às medidas de controle ambiental.

 

O Aterro Sanitário de Timbó está sob a administração do Consórcio Público desde janeiro de 2015. Para o diretor executivo, Valter Conrado de Araújo, a licença concedida pela Fatma é imprescindível para a operacionalização do aterro. Como o empreendimento já passou por vistorias anteriores, foi possível constatar a evolução das condições gerais do Aterro, os novos sistemas implantados e o plano de ações futuras.

 

O Aterro Sanitário de Timbó recebe por ano aproximadamente 30 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos dos municípios de Apiúna, Ascurra, Benedito Novo, Doutor Pedrinho, Indaial, Pomerode, Rio dos Cedros, Rodeio e Timbó.

 

Sancionada em 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) determinou quatro anos para os municípios se adequarem à legislação federal e definiu a extinção dos lixões do país e substituição por aterros sanitários, além da implantação da reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos pelos municípios.

 

Um estudo da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) mostra que atualmente Santa Catarina é um estado sem lixões. Na prática, isso quer dizer que todos os resíduos domiciliares produzidos no estado têm como destino os aterros sanitários.

 

O Médio Vale do Itajaí está ainda mais avançado neste quesito, pois além de não possuir lixões há mais de uma década, elaborou um projeto de gestão associada de resíduos sólidos urbanos e está buscando alternativas para viabilizar uma usina de biogás, em que os resíduos serão transformados em energia.

 

LEGENDA DA FOTO: Presidente da Fatma, Alexandre Waltrick Rates, o presidente do Consórcio, Hartwig Persuhn e a Gerente de Desenvolvimento Ambiental da Codam – Blumenau, Rosemari Bona