Estudo de campo destaca diversidade arbórea do Jardim Botânico de Timbó

Fórum Regional de Fiscalização Ambiental do Médio Vale do Itajaí é realizado em Blumenau
6 de setembro de 2019
Três cidades do CIMVI receberão pontos de sinalização turística inteligente
11 de setembro de 2019

Texto: Kléber Santos | Fotos: Paula Morais

Acadêmicos do curso de Engenharia Ambiental do Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI de Indaial, realizaram um levantamento preliminar da diversidade arbórea do Parque Jardim Botânico Franz Damm, em Timbó, no dia 20/10/2018. O trabalho foi realizado como atividade de campo da disciplina Fundamentos de Botânica, sob responsabilidade do Prof. Kleber Renan de Souza Santos, com o objetivo de demonstrar técnicas de estudos fitossociológicos e de coleta e herborização para material de herbário.

Foram delimitadas duas parcelas de 10×10 m e realizada a catalogação dos indivíduos com diâmetro à altura do peito (DAP) maior ou igual a 10 cm, estimada a altura das árvores, considerando a referência de um único observador, e a identificação das espécies se deu a partir do nome popular, obtido com o apoio de um mateiro experiente, senhor Ricardo Schroeder, e, posteriormente, os nomes científicos foram confirmados em literatura, bem como suas respectivas famílias botânicas.

Na área amostrada foram catalogados 27 indivíduos arbóreos, com 13 espécies distribuídas em 10 famílias botânicas. Euterpe edulis (o palmiteiro), espécie nativa do Brasil e ameaçada de extinção, foi a que apresentou maior ocorrência nas unidades amostradas, com oito indivíduos, altura média de 17 metros e DAP de 11 cm, o que revela a importância da área verde do Jardim Botânico para a conservação da flora ameaçada de extinção. Mais detalhes do levantamento são apresentados na tabela a seguir.

Levantamento preliminar da diversidade arbórea do Jardim Botânico de Timbó:

Na percepção dos acadêmicos Bruno Putka, Camila Cechhin, Erica Pickler, Jessica Kistner, Natália Possamai, Paula Morais e Tauana Pontizelli, a atividade proporcionou ver o quão grandioso é o conhecimento na prática, e mesmo em uma área amostral pequena foi possível obter informações interessantes sobre a flora arbórea local. Contudo, os pesquisadores observam que para um levantamento mais detalhado é necessário a continuidade dos estudos e a ampliação das áreas amostradas.