Plataforma do CIMVI auxiliará gestores de turismo da região

Santa Catarina ainda é Mata Atlântica
22 de fevereiro de 2018
Seminário Internacional sobre Experiências de Gestão de Riscos Hidrológicos: medidas estruturais e não-estruturais
28 de fevereiro de 2018

Um grupo de trabalhos do Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (CIMVI) esteve em Guabiruba neste fim de fevereiro para atualizar a nova plataforma de informações turísticas e mapa interativo do consórcio, que é utilizado principalmente pelos gestores municipais de turismo, embora algumas áreas da plataforma ficarão disponíveis ao cidadão. O grupo percorreu pontos turísticos da cidade com a equipe da Diretoria de Turismo.

Segundo a gestora de serviços do Setor de Cultura, Esporte e Turismo do CIMVI, Arlete Scoz, a finalidade do projeto é levantar atrativos turísticos reais e potenciais e sua respectiva classificação e hierarquização. “Para isso utilizamos uma metodologia já aplicada anteriormente nos municípios consorciados do CIMVI”, afirma.

A gestora também completa informando que todos os municípios que integram o CIMVI no setor de Turismo também serão visitados pela empresa responsável e complementa informando que em julho de 2018 os trabalhos serão entregue aos municípios, com a apresentação da plataforma atualizada. Um exemplo do andamento deste projeto é o município de Doutor Pedrinho onde o mesmo recebeu a visita na ultima sexta-feira dia 23 de fevereiro de 2018.

De acordo com Erika de Paula Alves, membro executivo da Raízes do Brasil, empresa que realiza o levantamento, os gestores encontrarão na plataforma, entre outras funcionalidades, armazenamento de todas as informações de cadastramento de atrativos. “Terão acesso às informações básicas dos equipamentos turísticos identificados na região, como dados, imagens e informações de georreferenciamento de forma organizada”, pontua.

Para o diretor e Turismo de Guabiruba, Andrei Muller, esse projeto trará muitas vantagens para o segmento turístico da região, pois irá identificar os potenciais atrativos. “O sistema fará uma avaliação através de uma metodologia utilizada mundialmente e consequentemente teremos um prognóstico do que deve ser feito para que os potenciais atrativos se tornem produtos turísticos”, avalia.