Práticas necessárias na operação dos resíduos sólidos durante a pandemia do Covid-19.

NOTA OFICIAL – Concurso Público 01/2020
23 de março de 2020
Setor de Turismo do CIMVI planeja programa para retomada do turismo regional
20 de maio de 2020

Considerando a Nota técnica Conjunta DIVS/SUV/SES/SC Nº 018/2020, que apresenta orientações para a prevenção do contágio pelo novo coronavírus em empresas de coleta e transporte de resíduos sólidos urbanos no Estado de Santa Catarina;

Considerando a Nota Técnica DIVS/DIVE/SUV/SES/SC nº 006/2020, que orienta sobre as boas práticas no gerenciamento dos resíduos de serviço de saúde na atenção à saúde de indivíduos suspeitos ou confirmados pelo coronavírus (covid 19);

Considerando ainda as recomendações da Associação Brasileira de Engenharia e Ambiental a gestão de resíduos e situação de pandemia por coronavírus;

Esclarece-se:

Durante esse período de pandemia, alguns procedimentos na operação e manuseio dos resíduos sólidos advindos da coleta domiciliar estão sendo adotados no sentido de proteção à saúde dos trabalhadores envolvidos nessa atividade considerada essencial, tais como:

Reforço na utilização de EPIs e EPCs, práticas de higienização e disponibilização de álcool gel 70%, afastamento pessoal conforme recomendações técnicas entre outras comuns a atividade. Porém duas medidas impostas são mais complexas e fazem-se necessárias:

• uma diz respeito ao armazenamento em quarentena dos materiais por 72 horas antes do manuseio de triagem, no intuito de evitar contaminação pela resistência do vírus em alguns tipos de embalagem, pratica esta que gera perdas por conta do transbordamento;
• e, outra no descarte imediato de cargas de materiais identificados como originários de municípios ou locais, onde tenha sido anunciado naquele dia a confirmação de casos de infecção pelo coronavírus, sendo retomada a partir da imediata identificação da residência do mesmo, praticado a suspensão da coleta seletiva daquela residência ou área de entorno (se houver concentração de casos confirmados), sendo este(s) devidamente orientado(s) pelo descarte completo através do lixo comum durante o período de isolamento.
Neste intuito, tais procedimentos (incluindo eventual descarte de materiais diretamente no aterro sanitário) atendem as normativas e orientações técnicas e se fazem necessários a segurança e saúde dos prestadores de serviços nas unidades de triagem e processos de operação dos resíduos sólidos domiciliares nesse período de pandemia e calamidade pública.

A opção nesse momento é pela total segurança pela vida de quem está na linha de frente na operação dos resíduos.